Adolescentes matam assentado e jogam o corpo em rio para roubar caminhonete e outros pertences

0
823
FOTO: CONESULNEWS

Três menores participam do crime e até uma criança com 11 anos de idade foi envolvida no caso

Momento da apreensão da caminhonete em Campo Grande. Foto divulgação DRACCO

A Polícia Civil do Estado de Mato Grosso do Sul, por intermédio da Delegacia de Polícia de Itaquiraí, tomou conhecimento do desaparecimento de um idoso de 68 anos de idade, residente do Assentamento Santa Rosa no município. A equipe policial foi acionada pela filha da vítima e diante das informações colhidas inicialmente, logo se suspeitou da ocorrência de um latrocínio, já que havia informações de que um adolescente, que seria enteado da vítima estaria armado em sua residência, acompanhado de outros adolescentes.

Diante das informações, a equipe policial localizou um adolescente de 16 anos de idade e outro de 17 anos, que seriam residentes do assentamento onde ocorrera os fatos no final da tarde da segunda-feira, 08 de agosto.

Durante as entrevistas preliminares, os adolescentes confessaram que haviam subtraído da vítima sua caminhonete, uma motocicleta, um revólver e que teriam ainda efetuados disparos de arma de fogo contra a vítima, que veio a óbito. No local, foi recuperada a motocicleta e alguns dos pertences pessoais da vítima.

Tio entre em luta corporal com policial e é baleado

Durante a diligência, a equipe policial foi surpreendida pela resistência do tio de um dos adolescentes, que de posse de um facão, investiu contra um policial civil. O policial teria se afastado e entrado em luta corporal com o homem, que desferiu golpes contra o policial que se defendia e tentava acessar sua arma de fogo, tendo o armamento caído ao solo. Em razão disso, para a defesa do policial civil, foram efetuados disparos contra o homem apenas para neutraliza-lo em sua investida contra a equipe policial. Imediatamente, foi socorrido ao hospital e permanece internado.

Momento da apreensão da moto roubada em Itaquirai. Foto divulgação Polícia Civil

O corpo do idoso morto pelos menores foi jogado em um rio

Com a confirmação da ocorrência do latrocínio, a equipe policial da DP de Itaquiraí, coordenados pela autoridade policial, ainda obteve a informação de que após a morte, os adolescentes teriam ocultado o cadáver do idoso, jogando o corpo em um rio. Também foi apurada a participação de outros adolescentes envolvidos nos fatos, sendo que um deles teria permanecido em posse da caminhonete Toyota Hilux subtraída da vítima e ido em direção a Campo Grande.

Até uma criança com 11 anos de idade foi envolvida no caso

A partir desse momento, foi acionada a equipe do Departamento de Repressão à Corrupção e ao Crime Organizado – DRACCO, que iniciou imediatamente diligências para a localização do adolescente. Ainda foi obtida a informação de que o adolescente estaria acompanhado de uma criança de onze anos de idade, cuja mãe indicou o desaparecimento.

Com as informações acerca da identificação do adolescente suspeito, equipes do DRACCO efetuaram diversas diligências para a localização do adolescente e da criança, sobretudo, por conta da informação do desaparecimento da criança e de que o adolescente ainda estaria em poder de arma de fogo.

Arma apreendida durante as investigações. Foto divulgação PC

Em um dos endereços levantados pela equipe, foi localizada a caminhonete Toyota Hilux, estacionada em frente a uma residência de parente do adolescente. A equipe policial, então, ao se aproximar, percebeu à silhueta semelhante a uma pessoa escondida no banco traseiro do veículo. Foi realizado, então, o cerco do veículo, sendo apreendido neste momento o adolescente de 16 anos que confessou a participação na subtração do veículo, além de indicar também a localização de um revólver calibre .38, que foi subtraído da vítima.

A criança também estava no interior da caminhonete e contou que teria fugido, acompanhado do adolescente, com quem mantinha relacionamento amoroso. No local, ainda foram encontrados objetos pessoais, como talões de cheque da vítima, que foram despejados em uma lixeira.

Luminol ajudou a identificar o transporte do corpo

Equipes da Coordenadoria Geral de Perícias foram acionadas para o atendimento dos fatos, tanto de local como para o luminol, que restou positivo. Foram, então, continuadas as diligências para a completa compreensão dos fatos.

De acordo com o que foi apurado, um dos adolescentes, que seria enteado da vítima, teria informações acerca dos pertences e rotinas e junto de outros três adolescentes decidiram praticar a subtração. Eles teriam pegado emprestada uma arma de fogo, do tipo carabina, calibre 22, com o pretexto de ir caçar, quando na verdade, já tinham acertado que iriam cometer o crime contra o idoso.

Ao serem atendidos pela vítima na residência, ainda conversaram com eles, quando em um momento, de forma inesperada, o adolescente de 16 apreendido em Campo Grande, efetuou um disparo que acertou o peito da vítima. Com a vítima já em solo, de dorso, o adolescente efetuou um disparo em sua nuca.

Arma longa apreendida durante as investigações. Foto divulgação PC

Cadáver está desaparecido no rio

Após isso, realizaram a subtração da caminhonete e de uma motocicleta, além de subtraírem objetos pessoais, inclusive, um revólver, calibre .38. Com o objetivo de dificultar a descoberta do fato, os adolescentes decidiram, então, tentar ocultar o corpo da vítima, tendo o carregado na caçamba da caminhonete e se dirigido a um rio da região, onde “desovaram” o cadáver.

Até o momento, o cadáver ainda não foi localizado e equipes continuam em diligências para a sua localização. Com a ocultação do cadáver, o grupo de adolescentes, acreditando que não seriam descobertos, tentaram vender a caminhonete, tendo viajado a algumas cidades da região, oferecendo o veículo por 50 mil reais. Após não conseguir a venda, um dos adolescentes teria então, decidido fugir para Campo Grande, tendo antes, convencido uma “namorada”, uma criança de onze anos de idade, a acompanhá-lo.

Diante dos fatos, foram apreendidos dois adolescentes, um de 16 anos de idade e outro de 17 anos de idade, os quais foram autuados em flagrante pela DP de Itaquiraí. Enquanto, em Campo Grande, a equipe do DRACCO realizou a apreensão do adolescente de 16 anos, apresentando-o à delegacia especializada para os procedimentos de polícia judiciária.

Polícia responde com agilidade para elucidar o caso

A Polícia Civil obteve sucesso em oferecer uma resposta imediata a um crime extremamente grave, em que os autores do fato, apesar de adolescentes, demonstram bastante frieza e crueldade na forma de execução, bem como, não demonstram qualquer arrependimento, confessando com clareza os fatos premeditados.

Ao fim, além dos três adolescentes apreendidos em flagrante, foram recuperados pela Polícia Civil os dois veículos subtraídos, vários objetos pessoais e apreendidas duas armas de fogo: um revólver calibre .38 e uma espingarda que teriam sido subtraídos da vítima. A criança foi deixada sob custódia do Conselho Tutelar para que fosse reintegrada à sua família.

As diligências de investigação para a localização do outro adolescente que teria participado do fato permanecem a ser empreendidas pela Polícia Civil, bem como todos os esforços também estão direcionados para a localização da vítima fatal.

Fonte: Jovemsulnews (Norbertino Angeli e c/DRACCO)