Equipe de cheerleading do Campus de Paranaíba se consolida como projeto esportivo

0
237

Em 2018, alguns estudantes do Campus de Paranaíba (CPAR) decidiram criar uma equipe de cheerleading, ou seja, de líderes de torcida, chamada Xitigers UFMS, com a finalidade de promover entretenimento e realizar atividades físicas.

Este ano a equipe se inscreveu no edital para projetos de Danças e Lutas e foram aprovados na modalidade de esportes e agora passam a ter as condições necessárias para a realização das atividades.

Sob a coordenação do professor Carlos Rodrigues da Silva, os estudantes terão encontros on-line e aulas com instrutores de Cheerleading e FitDance, atividades possíveis graças ao suporte financeiro concedido pela Universidade, que investe em atividades que promovam a saúde dos universitários.

Xitigers é o primeiro Time Integrado de Cheerleading do CPAR. Este esporte universitário traz elementos da ginástica e da dança, como força, flexibilidade, acrobacias, saltos, ritmo, sincronização e a coreografia.

Ana Beatriz Aguiar, capitã do time, explica que a maioria das pessoas tem uma visão errada do esporte, por associarem ele apenas a festas, “como se fosse uma bagunça realizada por universitários em momentos de diversão. Estamos tentando desmistificar essa visão associada ao cheerleading, sendo essa uma das propostas do projeto. Somos um esporte sério, regido por regras, modalidades, níveis e técnicas muito além de dança, e buscamos reconhecimento como tal”, declara.

Segundo Ana Beatriz, a equipe tem sido bem recebida e reconhecida, tanto na cidade de Paranaíba quanto no campus, o que mostra que estão no caminho certo. Além disso, o esporte tem contribuído para a formação pessoal e acadêmica dos participantes. “O cheerleading contribuiu tanto na parte física, como força e flexibilidade, quanto em outros aspectos, como dedicação dos atletas, comprometimento e autonomia da gestão para fazer dar certo”.

Uma das principais metas da equipe era o reconhecimento e um dos passos para isso era a possibilidade de oficializar o time e receber certificado pelas atividades realizadas, e, assim, o apoio da Universidade. “Outra grande necessidade foi a falta de equipamentos, principalmente pra trazer segurança pros treinos, como também o desejo de aperfeiçoamento da equipe, advinda do acompanhamento de profissional especializado na área do cheerleading”, afirma Ana Beatriz. Outra meta do projeto é disseminar a história e desenvolvimento do cheerleading no Mato Grosso do Sul e também a cultura do esporte nos câmpus menores da UFMS

Quando a UFMS abriu o edital de Lutas e Danças, foi a oportunidade que a equipe tanto esperava. “Junto a essa ideia do projeto, somou-se o desejo de solidificar a equipe, oferecendo uma rede de apoio para esse momento de pandemia”, conta a capitã.

Com a pandemia da Covid-19, a rotina dos estudantes modificou totalmente, principalmente daqueles que realizavam algum tipo de esporte. Ana Beatriz conta que a equipe passou por um período de adaptação. “A gente não pode se encontrar pra realizar os treinos. Somou-se a isso medida tomada pela UFMS de realizar o ensino remoto, que demandou uma adaptação enquanto acadêmicos, interferindo não só na rotina, como na interação social e trocas de experiências afetivas que tínhamos no modo presencial. Através desse projeto, que possui o cheerleading como ferramenta, a equipe tem como principal objetivo potencializar a união dos atletas, ampliando a interação social, buscando proporcionar aos acadêmicos suporte para superar as dificuldades do isolamento social nesse momento delicado, de forma mais positiva”.

No momento as atividades do projeto serão voltadas apenas para os atletas da equipe, mas como parte das atividades realizadas pelos alunos, a equipe irá realizar publicações em sua página no Instagram sobre treinos e sobre o esporte.