Estudantes de psicologia realizam oficinas sobre identidade e sexualidade, no Cpar-UFMS

0
31

Acadêmicos dos cursos de graduação do Campus podem participar das oficinas sobre Identidade e Sexualidade. A atividade faz parte do estágio obrigatório em Psicologia e Processos de Saúde é supervisionada pelo professor Jeferson Camargo Taborda. As oficinas são realizadas pelos acadêmicos de Psicologia e também é aberta para participação dos estudantes de Administração e Matemática.

Igor Mena é um dos acadêmicos envolvidos no estágio. Ele conta que o objetivo da atividade é “fomentar discussões que perpassam a compreensão de identidade e sexualidade do ser humano. Por meio da construção de um ambiente acolhedor e comum a todos”. De acordo com Igor, a discussão sobre essas temáticas se dá de uma forma mais acessível, com maior compreensão e facilidade, pois cada participante expõe a sua visão ao grupo, para que assim todos cheguem a uma compreensão unitária e comum.

“Um segundo objetivo é estender o grupo ao espaço de acolhimento e socialização durante este período de isolamento físico que estamos presenciando”, completa Igor. Para isso serão realizados em média cinco encontros durante o semestre, com duração de aproximadamente duas horas semanais e com a participação de no máximo dez pessoas.

A escolha do público-alvo se deu pelo fato de os estudantes de Psicologia observarem que temáticas que envolvem identidade e sexualidade são abordadas rapidamente nas disciplinas. “Acreditamos que com a participação dos estudantes, eles estarão mais preparados para exercerem a futura profissão, visto que identidade e sexualidade são determinações sociais que perpassam todas as pessoas. Enquanto psicólogos, professores ou administradores, que atuarão em contextos diversos e com demandas diferentes, como escolas, empresas, serviços de saúde, universidades, entre outros, esses profissionais terão conhecimento e compreensão a respeito das demandas da população LGBTI+”, explica Igor.

As temáticas iniciais escolhidas pelos estagiários são: identidade LGBTI+, interseção entre identidade LGBTI+ e raça/etnia, relacionamentos afetivos, saúde sexual e reprodutiva, políticas públicas para a população LGBTI+ e estratégias de apoio e enfrentamento a episódios de discriminação. Devido a metodologia adotada, esses temas podem, ainda, variar conforme a demanda dos participantes.

Para a potencialização das discussões serão utilizadas produções audiovisuais, como filmes, séries, documentários e músicas, e também dinâmicas que possam fomentar as discussões. Para àqueles que tiverem interesse em participar é preciso realizar um pré-cadastro aqui.

FONTE: CPAR-UFMS