Paranaíba terá mais 50 unidades no programa “Lote Urbanizado” e solicita doação de terrenos do Estado para construção de prédios municipais

0
123

A Administração Municipal confirmou parceria com a Agehab (Agência de Habitação Popular) de Mato Grosso do Sul para a construção de mais 50 unidades habitacionais pelo programa “Lote Urbanizado”, bem como a adesão à novos programas habitacionais. Além disso, a gestão solicitou doação de terrenos de posse do Governo do Estado para construir sedes próprias do Abrigo Municipal e Conselho Tutelar.

Os pedidos foram feitos na manhã desta terça-feira, 15, durante reunião Agehab, entre a diretora Maria do Carmo e o prefeito Maycol Queiroz, acompanhado do presidente da Câmara, vereador Dóllar Pires, secretária de Obras Milene Nagliati, engenheiro Neusvar Chaves e o servidor responsável pelo setor de habitação Alexsandro Melo.

Pelo programa Lote urbanizado estão sendo construídas 40 unidades habitacionais, atualmente na fase 2, com a colocação de telhado e finalização de acabamento. O programa visa atender quem tem renda familiar de até R$ 4.685,00 e que comprove condições de compra de material de construção, pois são gastos valores consideráveis na edificação, visto que o proprietário irá arcar com material e mão-de-obra.

O município participa com o terreno e a assistência técnica, já o Governo do Estado constrói a base da casa até a primeira fiada de tijolos e o cidadão dá continuidade na construção de sua moradia. O município assinou um termo de adesão e ficou responsável pela doação do terreno dotado de infraestrutura básica como água, energia, arruamento, iluminação pública, limpeza e patamarização dos terrenos, conforme orientação da Agehab.

Durante a reunião foi conversado que a licitação destas 50 novas unidades será feita em breve e na sequência a Agehab fará nova seleção de beneficiários.  Para participar do processo seletivo é preciso se cadastrar na Secretaria Municipal de Assistência Social.

Já sobre os terrenos do Estado, o prefeito Maycol Queiroz enfatizou a necessidade das construções de sedes próprias para o Abrigo Municipal e do Conselho Tutelar, para atender crianças e adolescentes em situação de vulnerabilidade.

DECOM