Prefeito e diretoria da Santa Casa assinaram contratualização com aumento de R$ 60 mil mensal no repasse municipal

0
29

Na manhã tarde desta quinta-feira, 05, o prefeito Maycol Queiroz e o secretário de Saúde Drº Amauri Mariano receberam, no Gabinete, a diretoria da Santa Casa de Misericórdia para assinar a contratualização do hospital. A Administração Municipal ajustou o repasse e concedeu aumento de R$ 60.000 (Sessenta Mil Reais) de recursos próprios, passando de R$ 340.000,00 (Trezentos e Quarenta Mil Reais) para R$ 400.000,00 (Quatrocentos Mil Reais) para auxiliar no atendimento do Pronto Socorro e atender cirurgias eletivas.

Com a contratualização, a Prefeitura repassará R$ 1.593.186,47 mensalmente para auxiliar no funcionamento da unidade, sendo R$ 494.661,47 (Quatrocentos e Noventa e Quatro Mil Seiscentos e Sessenta e Um Reais e Quarenta e Sete Centavos) de verbas federais, R$ 698.525,00  (Seiscentos e Noventa e Oito Mil Quinhentos e Vinte e Cinco Reais) de recurso estadual e R$ 400.000,00 (Quatrocentos Mil) de recursos próprios, deste valor R$ 245.000,00 (Duzentos e Quarenta e Cinco Mil) vão para o Pronto Socorro e R$ 155.000,00 (Cento e Cinquenta e Cinco Mil) para o incentivo de contratualização.

O prefeito Maycol Queiroz, o secretário de Saúde Drº Amauri Mariano, o diretor do Departamento de Auditoria, Diego Medeiros Martins e o vereador Dr. Fernando Castro receberam a equipe do setor administrativo da Santa Casa. Estiveram na reunião de assinatura: Antonio Gelamos, responsável técnico da enfermagem; Dr. Cláudio Souza dos Santos, diretor técnico; Jair Alves de Souza, diretor presidente da Santa Casa.

Assinaram o contrato, o prefeito, o secretário de Saúde e o presidente da Santa Casa. O último repasse feito pela gestão anterior ocorreu 19 meses após o início da Administração, no valor era de R$ 50 mil; esta gestão concedeu um reajuste maior em apenas 7 meses.  

O prefeito Maycol Queiroz destacou que o Município solicitou como contrapartida da Santa Casa a volta das cirurgias eletivas. “Há mais de um ano cirurgias eletivas não são feitas na Santa Casa. Os médicos não estão operando, porque houve uma lei da pandemia, comandada pelo presidente da República, onde diz que essas pequenas e médias cirurgias não seriam mais obrigatórias até acabar a pandemia. A gente não sabe quando vai acabar essa pandemia e o povo não pode ‘pagar esse pato’; o povo não está sendo operado, porque tem uma Lei Federal. Até no final desse ano de 2021 não é obrigatório cirurgias eletivas, por isso solicitamos esse serviço”, falou.

Maycol enfatizou que com o aumento as clínicas médicas existentes no hospital (Cirúrgica, Geral e Ortopédica) também serão beneficiadas, o que possibilitará a volta das cirurgias eletivas.

O presidente da Santa Casa, Jair Alves, agradeceu a Administração Municipal, porém demonstrou preocupação com a receita do hospital. “A Santa Casa está numa situação financeira muito aflitiva, porque há anos ela vem passando por isso e agora com a questão da pandemia [Covid-19] as despesas aumentaram violentamente para o hospital e nós não temos recursos para cobrir isso. Precisava hoje para o hospital caminhar tranquilamente uma média de R$ 1.700,000,00 (Um Milhão e Setecentos Mil)”, contou.

Drº Amauri Mariano ressaltou o comprometimento do prefeito Maycol Queiroz com a Saúde. “O prefeito aumentou o repasse, após fazermos um estudo de gastos. Sabemos que a Santa Casa passa por uma crise financeira, então o prefeito achou por bem ajudar. Em praticamente sete meses de administração o prefeito teve a sensibilidade de ajudar um pouco mais o hospital”, disse.

O secretário enfatizou ainda que a Prefeitura trabalha para equipar as Unidade de Saúde da Família e contratar mais médicos, principalmente para diminuir o acúmulo de cidadãos que buscam pelo Pronto Socorro.

DECOM