Santas Casas de todo o Brasil param atividades nesta terça; Paranaíba fecha das 14 às 16 horas

0
3965

A Federação das Santas Casas, Hospitais Filantrópicos e Entidade Beneficente de Mato Grosso do Sul (Fehbesul), presidida por Ivandro Fonseca, aprovou na semana passada, por unanimidade, a participação na paralização nacional organizada pela Confederação Nacional das Santas Casas e Hospitais Filantrópicos do Brasil, para esta terça-feira (19).
Mais de 1.800 Santas Casas e hospitais filantrópicos no país vão paralisar atendimentos eletivos durante 24 horas em protesto por recursos emergenciais.

A paralisação vai suspender consultas, cirurgias eletivas, oncologia e exames realizados pelo SUS (Sistema Único de Saúde). Serão remarcadas novas datas para atendimento.

Segundo a CMB (Confederação das Santas Casas e Hospitais Filantrópicos) o movimento tem como objetivo alertar a sociedade civil e o poder público sobre “a maior crise financeira enfrentada pelo setor filantrópico”.

Conforme divulgado pela revista Exame, “a dívida já chega a mais de 20 bilhões de reais. A mobilização tem como pano de fundo o projeto de lei em tramitação na Câmara, que institui o piso salarial da enfermagem. Segundo a CMB, se aprovado o projeto terá impacto estimado em R$ 6,3 bilhões ao orçamento dos hospitais”.

Em entrevista hoje (18) no Jornal Tribuna Livre da Rádio Difusora 91,9, o diretor técnico da Santa Casa de Paranaíba, o médico Claudio Souza, conversou com o repórter Márcio Seraguci e explicou como será e os motivos da paralização na cidade. Segundo ele, não há condições de pagar o reajuste proposto para a enfermagem sem aumento de repasses para os hospitais.