Técnica de enfermagem morre ao ser atingida por BMW na contramão dirigida por bêbado sem CNH

0
1178

Filha da vítima não conseguia falar com a mãe, rastreou o celular dela, que apontou delegacia de polícia, ligou lá e descobriu que ela havia morrido em acidente, no bairro Estrela do Sul, em Campo Grande.

A técnica de enfermagem Carla Jaqueline Miranda, de 40 anos, morreu ao ter a moto que pilotava atingida por uma BMW na contramão, dirigida por um homem de 29 anos bêbado e sem habilitação, na noite de domingo (24), em Campo Grande, quando voltava para casa. A família da vítima descobriu sobre o acidente após a filha rastrear o celular da mãe.

Conforme o boletim de ocorrência, o condutor contou que bebia com amigos em um evento de automobilismo desde às 15h e que furou o semáforo e invadiu a pista contrária para fugir da polícia pois temia perder o carro comprado com financiamento irregular. Ele falou ainda que tentou fugir do local, mas o veículo bateu no meio-fio e parou na calçada.

Fuga

A Polícia Militar (PM) terminava abordagens no bairro Jardim Imperial, região Norte da capital sul-mato-grossense, quando viu uma BMW em alta velocidade passando próxima. Os policiais então entraram na viatura e foram atrás, mas o veículo estava muito à frente.

Quando os policiais entraram na avenida Prefeito Heráclito Diniz de Figueiredo, foram avisados que havia ocorrido um acidente de trânsito e quando se aproximaram, se depararam com a BMW suspeita na calçada, uma moto próxima e uma mulher morta com diversos ferimentos no asfalto.

O local foi isolado e uma testemunha contou aos policiais que a BMW seguia na contramão, bateu de frente com a moto e tentou fugir, só parando porque bateu no meio-fio.

Carla Jaqueline trabalhava em hospitais particulares — Foto: Redes Sociais

Carla Jaqueline trabalhava em hospitais particulares — Foto: Redes Sociais

Moto ficou presa ao carro

De acordo com a polícia, o corpo de Carla Jaqueline foi parar a 10 metros do ponto de impacto com o carro, atrás do veículo do motorista que viu tudo. Já a moto que ela pilotava ficou presa à BMW e foi arrastada por cerca de 100 metros.

O condutor da BMW disse ainda à polícia que voltava da comemoração de um aniversário quando viu os policiais no bairro e decidiu tentar fugir porque havia comprado o carro BOB em uma revenda na capital.

Falou também que após passar no semáforo vermelho, andou uns 400 metros na contramão até bater na moto, continuou o trajeto e só parou ao bater no meio-fio.

De acordo com a polícia, o condutor estava “visivelmente embriagado, com olhos vermelhos, fala arrastada e ainda confessou ter ingerido bebida alcoólica”. O teste do etilômetro dele apontou 0,57 miligramas de álcool por litro de ar expelido dos pulmões, sendo constatada a embriaguez.

Identificação

A polícia não encontrou documentos pessoais da vítima no local do acidente. Ela foi identificada pela filha, já na madrugada desta segunda-feira (25). A jovem contou que a mãe estava na casa de uma amiga, no Jardim Campo Nobre, e seguiria para casa, no Jardim Aeroporto, cujo um dos trajetos é a avenida onde aconteceu o acidente.

A jovem falou ainda aos policiais que o último contato com a mãe havia sido 22h01 (de MS). Como Carla não chegou em casa no horário previsto e não atendia mais as ligações, a filha rastreou o celular dela.

O rastreio apontou que o telefone estava na Delegacia de Pronto Atendimento do Centro. A jovem ligou lá, ficou sabendo do acidente e então reconheceu o corpo da mãe.

Ficha criminal

O condutor da BMW tem 47 passagens pela polícia. Ele foi preso em flagrante e só poderá sair por decisão judicial. A audiência de custódia será terça-feira (26).

Ele reclamou de dor no queixo, no braço esquerdo e tinha um ralado no cotovelo do mesmo braço, pois havia batido no volante e recusou atendimento médico.

Na BMW havia mais dois rapazes, os quais não ficaram feridos.

G1MS