Bolsonarista atira três vezes contra deputado do PT em Minas Gerais

0
389
Bolsonarista atira três vezes contra deputado do PT em Minas Gerais. Créditos: Reprodução/ redes sociais

O atentado ocorreu na cidade de Montes Claros, que teve registro de outro episódio de violência política na última sexta-feira

O deputado federal Paulo Guedes (PT-MG) publicou um vídeo em suas redes sociais onde revela que o carro de som de seu comício, que ocorreu na noite deste domingo (25), na cidade de Montes Claros (MG), foi alvo de ataque de um militante bolsonarista. Segundo Guedes, o homem atirou três vezes contra ele e outras pessoas que estavam no local. 

“Acabei de sofrer um atentado. Bolsonarista disparou 3 tiros contra o carro de som em que eu estava, durante carreata em Montes Claros. Até onde vai esse ódio?”, questionou o deputado em suas redes. 

Segundo relato do parlamentar, o homem que atirou contra o seu carro de som é um policial militar que estava à paisana e foi preso em flagrante. 

“Isso é um absurdo, é a terceira que isso acontece em Montes Claros. Nós não podemos aceitar. Nós exigimos a presença da Polícia Federal”, disse o deputado Paulo Guedes.

Um grupo de ativistas do Partido dos Trabalhadores (PT) que fazia panfletagem no bairro de São Geraldo, na cidade de Montes Claros (MG), nesta sexta-feira (23), foi alvejado três vezes por um militante bolsonarista que, após atirar contra as pessoas também mostrou o órgão genital para os presentes. 

Militantes do PT de Minas Gerais que estavam no local na hora do atentado afirmam que o homem se revoltou ao tomar conhecimento da panfletagem. Segundo relatos, o homem saiu e afirmou que não iria permitir divulgação do candidato petista em seu bairro. 

De acordo com informações obtidas pela Fórum, o homem que atirou no grupo de militantes do PT é policial militar. Na casa, além do suspeito, vive outro homem, que também seria militar, a esposa de um deles e uma outra mulher. 

Após o atentado, a Polícia Militar foi acionada e está no local até este momento tentando conversar com o suspeito, que se recusa a receber os agentes. 

Os relatos obtidos pela Fórum também dão conta de que em determinado momento as duas mulheres saíram e dialogaram com os policiais. Depois disso, deixaram a casa, que permanece trancada e cercada pelas forças militares. 

Felizmente, não há registro de vítimas fatais ou feridos. 

FONTE: FORUM