Do Três Barras até o Flecha estão as terras mais caras de Paranaíba para cobrança de ITBI

0
307

Área rural menos valorizada abrange Bálsamo, Boa Vista, Formigas, Indaiá Grande, Mimoso, Monte Alegre, Roncador, Areias, Ponte Nova, Divisa, Campeiro e Pedra

O Decreto Municipal Nº 915, de 28 de dezembro de 2021, publicado no Diário Oficial do Município (via Assomasul) desta segunda-feira (3) define valores por hectares aos imóveis rurais do município de Paranaíba por microrregião, para efeito do Imposto sobre Transmissão de Bens Imóveis – ITBI, no exercício de 2022.

As áreas rurais mais caras, conforme o Decreto, estão na Microrregião II, que abrange a região que começa na divisa de Paranaíba com Aparecida do Taboado, no rio Três Barras, margeia a cidade pela lado Leste próximo ao rio Paranaíba e vai até a região do Flecha e Ariranha próximo à BR-158, rumo a Cassilândia. Nesta faixa estão Lagoa Bonita, Serra, Três Barras, Cabeceira da Vila (Distrito Patrimônio), Ramalho, Taboca, Fazendinha, Barreiro de Ariranha, Cachoeira, Lagoa do Areré, Ariranha e Flecha; com valor base de R$ 13.540,70 por hectare.

Na Microrregião III estão Lontra, Salino, Barreiro, Barreiro de Cima, Coqueiros, Irara, Ponte Alta, Formoso e Furnas; com valor base de R$ 11.003,16 por hectare.

Na Microrregião IV estão Barro Branco, Córrego Fundo, Figueira, Tamandaré, Velhacaria, Cancan, Ribeirão Grande, Bonito, Laje e Rio do Peixe; com valor base de R$ 10.156,13 por hectare.

Na Microrregião V estão  Lageadinho, Mutuns, Quitéria, Pedras, e Espicha Couro; com valor base de R$ 9.309,08 por hectare.

Na Microrregião  VI estão Árvore Grande e Bebedouro ou Bela Vista; com valor base de R$ 8.462,04 por hectare.

Na Microrregião VII é a menos valorizada do Município onde estão Bálsamo, Boa Vista, Formigas, Indaiá Grande, Mimoso, Monte Alegre, Roncador, Areias, Ponte Nova, Divisa, Campeiro e Pedra, com valor base de R$ 7.617,40 por hectare.

A Microrregião I fica no Perímetro Urbano e Suburbano definidos pela Lei Complementar Nº 23, de 05/10/2006 (Plano Diretor), com o valor base de  R$ 20.313,43 por hectare.