Estado de saúde delicado do vereador eleito Antônio Marcos, entubado na UTI com coronavírus

0
3487

O professor Antônio Marcos Ferreira da Silva, eleito vereador pelo Republicanos em Paranaíba, contraiu o coronavírus e está internado e entubado na UTI (Unidade de Terapia Intensiva) da Santa Casa de Paranaíba.

Conforme relato de sua irmã Neuzira Aparecida Ferreira da Silva Couto, em entrevista na manhã desta quarta-feira (2) ao repórter Aguimar Souza, para o Programa Tribuna Livre da Rádio Difusora FM 91,9, seu estado agravou durante a semana passada, assim que apareceu um estado gripal.

“No domingo [22 de novembro], ele apresentou um quadro gripal, na segunda e na terça-feira houve uma evolução com a piora desta gripe. Já na quarta-feira ele foi coletar os exames, e entre esses exames, fez o exame de PCR para saber se estava com covid. Na quinta-feira ele teve dores no corpo e na sexta um quadro de fraqueza, foi quando junto com minha cunhada procurou atendimento junto ao hospital da Cassems”, explicou Neuzira, quando um exame de tomografia já mostrou grande parte de seu pulmão comprometido, ele foi internado no hospital da Cassems de Paranaíba e recebeu medicações.

No sábado, foi solicitada uma vaga na UTI da Cassems de Três Lagoas, o que não foi possível no momento. A vaga foi conseguida na Santa Casa de Paranaíba onde o professor Antônio Marcos está até hoje (2).

“Ele encontra até hoje entubado e de acordo com o boletim diário que o médico da UTI passa para a minha cunhada é que o quadro dele é bastante delicado. Ontem à tarde ele apresentou um quadro febril e a gente está aqui pedindo a Deus, orando muito pra Deus restaurar a saúde dele”, disse a irmã.

Neuzira faz um apelo à população: “Quero pedir à população que cada um seja responsável pela sua saúde. Cada um fazer a sua parte, cada um se proteger, usando as máscaras, mantendo o distanciamento, higienizar as mãos. Se precisar sair para trabalhar que saia, mas saia protegido, procurar evitar as aglomerações e deixar de pôr a culpa no A ou no B”.

“Quando ela bate na sua porta a realidade é outra. É um sofrimento para família, pra pessoa que está doente. Ela tira seu chão, sem contar que a gente fica de pés e mãos atados porque não tem como você ajudar, não tem o que você fazer. É uma longa espera, 24 horas para saber o boletim do quadro clínico do seu paciente que está na UTI”, disse a irmã com o nó na garganta.

Ela completou com emoção. “Essa doença consegue separar você das pessoas que você ama. Seu doente está lá no hospital, você está isolada na sua casa, o outro familiar está isolado na outra casa. Infelizmente esta doença veio para destruir os sonhos de diversas pessoas”.E

OUÇA NA INTEGRA: