Filhos confessam assassinato de pai de menina indígena achado em pedreira, diz polícia

0
205

Os filhos de um homem que foi encontrado morto em uma pedreira que fica em uma comunidade indígena de Dourados (MS) confessaram o crime, de acordo com a Polícia Civil. Alonço Cabreira tinha 89 anos e foi encontrado morto nesta quarta-feira (30) no mesmo local em que a filha de 11 anos foi brutalmente assassinada no ano passado.

Para a Polícia Civil, o homem foi morto pelos próprios filhos por causa do dinheiro da aposentadoria do idoso. A informação foi confirmada ao g1 pelo delegado que acompanha o caso, Erasmo Cubas, em Dourados (MS). Assista ao vídeo acima.

O delegado informou que o idoso foi vítima de latrocínio. À polícia, os filhos de Alonço – um jovem, de 21 anos, e uma mulher, de 23 – confessaram o crime.

O delegado apontou que quatro pessoas foram ouvidas e três foram presas. Entre elas Miguelito Ortiz Cabreira e Michelle Cabreira Ortiz, filhos da vítima.

Os envolvidos no crime podem responder por ocultação de cadáver e latrocínio. O g1 não encontrou a defesa dos suspeitos.

Idoso desaparecido

O idoso estava desaparecido desde segunda-feira (28), quando teria ido almoçar na casa de um filho. Nesta quarta-feira, o corpo da vítima foi encontrado por crianças que passeavam pela pedreira.

Em agosto de 2021, a filha da vítima, de 11 anos, foi estuprada e assassinada ao ser jogada da mesma pedreira.

Polícia no local onde a menina foi encontrada morta — Foto: Adílson Domingos

Polícia no local onde a menina foi encontrada morta — Foto: Adílson Domingos

Menina assassinada em pedreira

A garota foi estuprada coletivamente e morta ao ser jogada da pedreira, de acordo com a polícia. À época, cinco pessoas confessaram o crime. Entre eles três adolescentes e dois adultos, incluindo um tio da vítima.

De acordo com informações da polícia, com base nos depoimentos da confissão dos suspeitos, os adolescentes, além de um adulto, planejaram abusar da garota.

No plano do crime, a polícia descobriu que dois adolescentes foram responsáveis por deixar a garota bêbada e arrastá-la até a pedreira, local onde ocorreu o abuso.

A polícia informou que pedaços de roupa foram vistos ao longo da pedreira, e o corpo da vítima estava dilacerado. No começo das investigações, sete pessoas chegaram a ser ouvidas.

O tio da garota indígena foi encontrado morto dentro de uma cela logo após ser preso, segundo o delegado responsável pelas investigações, Erasmo Cubas.