MS confirma 1.259 novos casos de Covid; Mais da metade deles na Capital

0
89

O novo coronavírus continua avançando em Mato Grosso do Sul. Nesta terça-feira (25) a Secretaria de Estado de Saúde confirmou mais 1.259 novos casos da doença. Desse total de infectados, mais da metade reside na Capital. As cinco cidades com mais confirmações para o dia são Campo Grande (+673), Aquidauana (+78), Miranda (+45), Aparecida do Taboado (+42) e Três Lagoas (+39). A média móvel indica que na última semana foram 847 casos confirmados por dia no Estado.

Nas últimas 24 horas também houve a confirmação de 18 vidas que foram perdidas em decorrência da Covid-19. Os locais de residência das vítimas são: Campo Grande (+9), Aquidauana (+3), Dourados (+1), Aparecida do Taboado (+1), Naviraí (+1), Anastácio (+1), Miranda (+1), Corumbá (+1). Com idades entre 24 a 91 anos, apenas três não tinham nada relatado e os demais tinham comorbidades e fatores de risco.

O mês de agosto lidera o quadro geral de óbitos pela Covid com 357 mortes. A média móvel no Estado é de 13,6 vítimas por dia. Em Campo Grande o cenário é o mesmo, e os dados apontam 161 vidas perdidas só neste mês. Na Capital a média móvel mostra que a doença fez 6,7 vítimas nos últimos 7 dias.

Sobre a letalidade da doença o secretário de saúde, Geraldo Resende voltou a alertar sobre a procura tardia as instituições de saúde. “As pessoas que vivenciam esses quadros nos hospitais estão muito assustadas porque além de ter uma alta taxa de letalidade, está chegando pessoas de grau clinico bastante crítico. As pessoas estão chegando muito tardiamente as unidades hospitalares. Tem pessoas que chegam num dia e vão a óbito no mesmo dia. Isto mostra que temos falhas no monitoramento por parte dos municípios”, pontuou.

Enquanto os indicadores da Covid apresentam crescimento exponencial, as taxas de isolamento social seguem estagnadas. O índice mapeado nesta segunda-feira no Estado foi de 36,1% com MS ocupando o 23° lugar entre as unidades da federação. Já Campo Grande registou taxa de 35,2% sendo o terceiro pior índice das capitais brasileiras.

Portal do MS