Pesquisa do Instituto Ranking para deputado federal em Mato Grosso do Sul; veja os números  

0
288

Os três primeiros colocados na última pesquisa divulgada pelo Instituto Ranking Brasil para ocupar uma das oito cadeiras da Câmara Federal seguem na dianteira. Geraldo Rezende (2,20%), Professor Juari (1,90%) e Carlos Bernardo (1,80%) são os preferidos dos eleitores.

A novidade neste estudo é Delcídio do Amaral que deu uma guinada e saiu da décima primeira posição para ocupar o quarto lugar. O candidato do PTB cresceu 0,60 pontos percentuais.

Na sequência vem Tio Trutis (1,40%) que caiu uma posição, mas segue entre os cinco primeiros colocados. Depois vem Flávio Cabo Almi (1,40), Beto Pereira (1,40%), Dione Hashioka (1,30%) e Vander Loubet (1,30%).

Quem também surpreendeu é Wilton Acosta e Marcon Pollon que marcavam 0,40% das intenções de votos e agora estão com 1,20% da preferência dos eleitores.

O levantamento foi realizado com 3 mil eleitores em 30 municípios do Estado. A pesquisa é do tipo quantitativa, por amostragem, com aplicação de questionário estruturado em entrevistas com abordagem pessoal em ponto de fluxo populacional e domiciliar. Significa que todos tiveram a mesma chance de serem sorteados para responderem ao questionário.

Pesquisa Espontânea

A pesquisa que foi realizada de forma espontânea, ou seja, uma pergunta é feita aos entrevistados e não é dada nenhuma alternativa para resposta. Esta pesquisa serve para medir a lembrança da pessoa que participa do levantamento e a importância que eles dão aos questionamentos.

Geraldo Rezende – 2,20%, Professor Juari – 1,90%, Carlos Bernardo – 1,80%, Delcídio do Amaral – 1,70%, Tio Trutis – 1,40%, Flávio Cabo Almi – 1,40%, Beto Pereira – 1,40%, Dione Hashioka – 1,30%, Vander Loubet – 1,30%, Wilton Acosta – 1,20%, Marcos Pollon – 1,20%, Sindoley Morais – 1,20%, Alírio Villassanti – 1,10%, Keliana Fernandes – 1,00%, Dagoberto Nogueira – 1,00%, Waldemir Moka – 1,00%, Dr. Eudélio – 0,80%, Valter Carneiro Jr. – 0,80%, Bia Cavassa – 0,70%, Luiz Ovando – 0,70%, Chiquinho Assis – 0,60%, Fábio Trad – 0,50%, Rodolfo Nogueira – 0,40%, Dr. Antônio Cruz – 0,40%, Camila Jara – 0,40%, Del. Sidnéia Tobias – 0,40%, Malu Fernandes – 0,30%, Junior Coringa – 0,30%, Luciana Azambuja – 0,30%, Saulo Batista – 0,30%, Zé da Viola – 0,30%, Prof. Jaime Teixeira – 0,30%, Laudir Munareto – 0,30%, Dr. Cassiano Maia – 0,20%, Coronel Neidy – 0,20%, Danielzinho – 0,20%, Michella Dutra – 0,20%, Juliana Gaioso MS – 0,20%, Gilmar da Cruz – 0,20%, Dr. Guto – 0,20%, Sargento Betânea – 0,20%, Roberto Mateus– 0,20%,Mariléia Elias – 0,20%, Victor Tatão – 0,20%, Branco/Nulo/Indeciso/Não sabe/Não respondeu – 66,19%

Onze partidos disputam as oitos vagas de Mato Grosso do Sul na Câmara Federal

Onze partidos estão na disputa por uma das oito vagas de Mato Grosso do Sul para a Câmara Federal. São eles PSDB, PT, MDB, União Brasil, Podemos, PL, PP, PSD, PTB, Republicanos e AGIR.

É que para concorrer a uma das vagas os partidos precisam atingir 80% de votos para fazer um deputado federal com as maiores sobras do coeficiente eleitoral. Além disso, o candidato mais votado do partido tem que obter no mínimo 20% de votos do coeficiente eleitoral.

Sendo assim, segue abaixo a análise do Instituto Ranking Brasil dos partidos e candidatos que estão na frente e podem vir a ocupar uma das oito vagas de Mato Grosso do Sul para a Câmara Federal.

PSDB

Tem mais chance de entrar Geraldo Rezende com 2,20% das intenções de votos, Professor Juari com 1,90% e Beto Pereira com 1,80%. Na sequência vem Dagoberto Nogueira e Keliana Fernandes, ambos com 1,00%. Bia Cavassa marca 0,70%.

PT

Está na frente da disputa o já deputado federal Vander Loubet com 1,30% das intenções de votos. Depois vem Camila Jara com 0,40% e Prof. Jaime Teixeira com 0,30%.

MDB

Estão na frente da disputa Carlos Bernardo com 1,40% das intenções de votos dos eleitores e Waldemir Moka com 1,00%. Depois vem Dr. Antônio Cruz com 0,40% e Laudir Munaretto com 0,30%. Victor Tatão está com 0,20%.

União Brasil

Tem mais chance de levar a disputa Sindoley Moraes que está com 1,20% das intenções de votos dos eleitores e Alírio Villasanti que está com 1,10%. Zé da Viola marca 0,30%, Michela Dutra 0,20% e Flávio Renato 0,10%.

Podemos

Tem mais chance de ocupar uma das cadeiras, os candidatos Flávio Cabo Almi que está com 1,40% das intenções dos votos e Dione Hashioka com 1,30%. Na sequência vem delegada Sidnéia Tobias com 0,40% e Dr. Guto com 0,20%.

PL

Tem mais chance de levar a disputa o já deputado federal Tio Trutis com 1,40% das intenções de votos dos eleitores e Marco Pollon com 1,20%. Na sequência vem Rodolfo Nogueira com 0,40%, Sargento Betânia com 0,20% e Luana Ruiz com 0,10%.

PP

Estão na frente da disputa Valter Carneiro Junior e Dr. Eudélio, ambos com 0,80% das intenções de votos. Na sequência vem Luiz Ovando com 0,70% e Luciana Azambuja com 0,30%.

PSD

Tem mais chance de entrar na Câmara Federal pelo PSD o já deputado Fábio Trad que está com 0,50% das intenções de votos dos eleitores. Junior Coringa está com 0,30%, Jorge Martinho com 0,07% e Léo Matos com 0,07%.

PTB

O candidato mais provável de levar a disputa é Delcídio do Amaral que está com 1,70% das intenções de votos dos eleitores. Na sequência vem Renata Lacerda e Dr. Erney Barbosa, ambos com 0,10%. João Victor e James marcam 0,03%

Republicanos

Entre os republicanos, o candidato mais provável de levar a disputa é Wílton Costa com 1,20% das intenções de votos dos eleitores. Depois vêm os candidatos Chiquinho Assis (0,60%), Malu Fernandes (0,30%), Saulo Batista (0,30%) e Gilmar da Cruz (0,20%).

AGIR

O AGIR pode fazer um candidato. Estão na frente Danielzinho com 0,20%, Senna com 0,10% e Messias de Souza com 0,10%. Na sequência vem Camila Martins e Vitória Medeiros, ambas com 0,03%.

  • Os partidos Avante, DC, PRTB, Solidariedade, Pros, PDT, PSB, Novo e Federação Rede/Psol não atingiram 80% dos votos para fazer um deputado federal com as maiores sobras do coeficiente eleitoral. Os partidos além de ter que atingir esta porcentagem dos votos (80%), o mais votado do partido tem que obter no mínimo 20% dos votos do coeficiente eleitoral em vigor para ocupar uma das cadeiras.

Dados da pesquisa

Foram entrevistadas 3.000 pessoas, em 30 municípios do Mato Grosso do Sul por setores censitários IBGE de 2010, entre os dias 23 e 26 de setembro de 2022. A pesquisa está registrada com os números: MS-00892/2022 e BR-01779/2022

A margem de erro máxima estimada é de 1,8 pontos percentuais, para mais ou para menos. O intervalo de confiança é de 95%. A pesquisa foi encomendada pelo site MGS NEWS. O Instituto Ranking Brasil é registrado no Conre 1 com o número: 8561.

Veja a pesquisa completa em PDF no site:
www.rankingpesquisa.com.br
INSTITUTO RANKING BRASIL
Contato: (67) 9 9968-0055/67 9 9962-3334
E-mail: rankingpesquisa@gmail.com