21.7 C
Paranaíba
quarta-feira, 21 fevereiro, 24
spot_img
spot_img
InícioDestaquesSem Lula, Haddad adia ida à China; ministro da Agricultura e empresários...

Sem Lula, Haddad adia ida à China; ministro da Agricultura e empresários vão manter agendas

Ministro da Fazenda integraria comitiva brasileira. Lula e Haddad abordariam relações comerciais e fariam reuniões com empresários. Senador Rodrigo Pacheco também cancelou viagem.

O Ministério da Fazenda informou neste sábado (25) que o ministro Fernando Haddad decidiu não embarcar para China após o presidente Luiz Inácio Lula da Silva (PT) adiar a visita ao país asiático.

Por orientação médica, Lula, que já havia adiado o embarque para China deste sábado para este domingo (26), resolveu não viajar para se recuperar de uma pneumonia.

Na China, Lula e Haddad teriam reuniões com autoridades chinesas, nas quais abordariam as relações bilaterais com o maior parceiro econômico brasileiro.

Além de Haddad, outros sete ministros que integravam também não vão viajar. São eles:

  1. Mauro Vieira, das Relações Exteriores
  2. Margareth Menezes, da Cultura
  3. Alexandre Silveira, de Minas e Energia
  4. Juscelino Filho, das Comunicações
  5. Luciana Santos, da Ciência Tecnologia e Inovação
  6. Marina Silva, do Meio Ambiente
  7. Paulo Teixeira, do Desenvolvimento Agrário e Agricultura

O presidente do Senado, Rodrigo Pacheco (PSD-MG), que integraria a comitiva de Lula, a convite do petista, informou por meio da assessoria que também não viajará mais para a China neste momento.

Uma nova data para a viagem está sendo negociada pelo governo com as autoridades chinesas e ainda não foi definida.

Ministro da Agricultura, Carlos Fávaro, em reunião com chefe da Administração de Aduanas da China, Yu Jianhua — Foto: Ministério da Agricultura/Reprodução

Ministro da Agricultura, Carlos Fávaro, em reunião com chefe da Administração de Aduanas da China, Yu Jianhua — Foto: Ministério da Agricultura/Reprodução

Agendas mantidas

O ministro da Agricultura e Pecuária, Carlos Fávaro, que já estava na China, será o único representante do Executivo que manterá os compromissos no país asiático.

Fávaro embarcou para a China na última segunda-feira (20). As agendas dele com chineses começaram na quinta-feira (23). O ministro deve retornar ao Brasil na próxima quinta-feira (30).

No início da noite deste sábado, o ministro da Secretaria de Relações Institucionais (SRI), Alexandre Padilha, confirmou a informação sobre Fávaro e afirmou que outras agendas da comitiva brasileira que não incluíam o presidente Lula serão mantidas.

“As demais atividades que estavam previstas nessa visita que não tinham a presença do presidente estão absolutamente mantidas. Nós temos centenas de empresários, um encontro que a APEC [Cooperação Econômica da Ásia e do Pacífico] está organizando, temos ministros que já estavam lá, como o ministro da Agricultura […] Continuam as atividades que estavam previstas”.

Ou seja, uma parte da agenda econômica do governo na China não sofrerá alterações.

A relação de empresários que acompanhariam Lula inclui nomes dos setores de produção de carne bovina, aves, suínos, celulose, algodão, insumos, dentre outros outros.

Padilha falou com jornalistas ao chegar ao Palácio da Alvorada, em Brasília, onde o presidente realiza o tratamento contra a pneumonia.

No Brasil, Lula deve agora centrar esforços na apresentação e articulação do novo arcabouço fiscal. A regra, que substituirá o teto de gastos, estava prevista para ser enviada ao Congresso após a viagem de do presidente à China.

Pneumonia ‘leve’

Lula foi diagnosticado com pneumonia “leve” na noite de quinta-feira (23). Na manhã da sexta-feira (24), o governo comunicou que o embarque do presidente para a China seria atrasado da manhã deste sábado (25) para a manhã de domingo (26).

G1

- Publicidade -spot_img

MAIS LIDOS