35.4 C
Paranaíba
domingo, 25 fevereiro, 24
spot_img
spot_img
InícioCidadeVeja quais medidas restritivas estão em vigor no estado

Veja quais medidas restritivas estão em vigor no estado

Mato Grosso do Sul vive colapso na saúde por pandemia de Covid-19 e tem 43 municípios com bandeira cinza, de grau de risco extremo, para a doença. Governo do Estado publicou novo decreto obrigando cidades a seguirem Programa Prosseguir.

O estado de Mato Grosso do Sul publicou, nesta quinta-feira (10), um novo decreto obrigando os municípios a obedecerem as regras do Programa Prosseguir, dentro de seus territórios. As medidas restritivas variam de acordo com a bandeira que cada município recebeu no último mapa, também divulgado nesta quinta.

Segundo o documento, “os municípios deverão adotar, no âmbito de seus territórios, as recomendações emitidas pelo Comitê Gestor do Programa de Saúde e Segurança da Economia (PROSSEGUIR), as quais terão caráter vinculativo e deverão ser fixadas em consonância com as bases e as diretrizes constantes do Decreto Estadual nº 15.462, de 25 de junho de 2020, que cria o referido Programa, e demais normativos que regem a matéria”.

Ainda conforme o decreto, válido de 11 a 24 de junho, os municípios que não adotarem as recomendações deverão apresentar as justificativas técnicas para o descumprimento perante a Secretaria de Estado de Saúde, que fará uma avaliação, podendo autorizar ou não este descumprimento.

O bandeiramento de cada cidade vai determinar o funcionamento das atividades econômicas e quais medidas restritivas devem ser adotadas. Na bandeira cinza, que engloba 43 municípios de acordo com o novo mapa, incluindo Campo Grande, Corumbá, Três Lagoas e Dourados, podem funcionar apenas as atividades essenciais (51 atividades, elencadas no final desta reportagem) e o toque de recolher deve ser entre 20h e 5h.

Para essas cidades, as seguintes atividades devem ser proibidas:

NÃO ESSENCIAIS DE BAIXO RISCO

  • 2.1. Profissionais liberais não especificados em outras classificações;
  • 2.2. Restaurantes;
  • 2.3. Comércio de bebidas alcoólicas;
  • 2.4. Serviços da cadeia do turismo;
  • 2.5. Visitação em atrações turísticas, culturais e esportivas;

NÃO ESSENCIAIS DE MÉDIO RISCO:

  • 3.1. Comércios atacadistas não especificados nas demais classificações;
  • 3.2. Comércios varejistas não especificados nas demais classificações;
  • 3.3. Bares e afins;
  • 3.4. Prestação de serviços não especificadas nas demais classificações;
  • 3.5. Pesquisa e desenvolvimento;
  • 3.6. Cinemas em espaço aberto;
  • 3.7. Shopping;
  • 3.8. Feiras livres;
  • 3.9. Cabelereiro, barbearia, salões de beleza e afins;

NÃO ESSENCIAIS DE ALTO RISCO:

  • 4.1. Eventos, reuniões e festividades em clubes, salões, centros esportivos e afins;
  • 4.2. Boliche, sinuca e similares e jogos eletrônicos;
  • 4.3. Áreas comuns de Condomínios.

NÃO RECOMENDADOS

  • 5.1. Eventos culturais e de lazer;
  • 5.2. Teatros, cinemas, arenas e espaço de eventos fechados;
  • 5.3. Feiras de negócios e exposições.

Já para os 29 municípios que estão na bandeira vermelha, de grau alto de risco para Covid, o toque de recolher deve ser adotado das 21h às 5h e apenas o funcionamento de atividades essenciais e não essenciais de baixo risco estão liberadas.

Nas 7 cidades que estão com bandeira laranja, podem funcionar atividades essenciais e não essenciais de baixo e médio risco e o toque de recolher deve ser das 22h às 5h.

Nesse período em que o decreto vigorará, a secretaria de Justiça e Segurança Pública (Sejusp) vai ampliar a fiscalização do cumprimento das regras através das forças policiais (Polícia Militar, Polícia Civil e Corpo de Bombeiros).

Os municípios também podem realizar decretos municipais, desde que observem e obedeçam as restrições que constam no decreto estadual, de acordo com a bandeira do Programa Prosseguir.

ATIVIDADES ESSENCIAIS QUE PODEM CONTINUAR

Entre os serviços que são considerados essenciais estão, por exemplo, o transporte e o carregamento de gás e a produção, distribuição e comercialização de combustíveis e derivados. As seguintes atividades essenciais podem seguir em todos os municípios do estado:

  • 1.1. Serviços públicos prestados no âmbito dos órgãos, autarquias e das fundações do Poder Executivo Estadual, exclusivamente de forma remota ou a distância, podendo ser exercidos presencialmente os de: saúde; segurança pública; defesa civil; assistência social nas residências inclusivas e na casa abrigo; infraestrutura; controle de serviços públicos delegados; compras e contratações de bens e serviços; fiscalizações tributária, sanitária, agropecuária, ambiental e metrológica e outros serviços indispensáveis mediante determinação do dirigente máximo do órgão ou da entidade;
  • 1.2. Serviços públicos prestados pelos Poderes Executivos e Legislativos Municipais, Poder Judiciário (incluída a Justiça Eleitoral) e Poder Legislativo Estadual, Ministério Público, Defensoria Pública e Tribunal de Contas do Estado e, ainda, por esses Poderes e Instituições integrantes da União localizados no território de Mato Grosso do Sul, cujo o funcionamento observará os normativos próprios;
  • 1.3. Assistência à saúde no geral: Serviços prestados por odontólogos, fisioterapeutas, terapeutas ocupacionais, psicólogos e fonoaudiólogos, de forma remota ou à distância, com atendimento presencial somente em casos de urgência, emergência ou de pessoas que necessitem de acompanhamento especial e contínuo;
  • 1.4. Assistência Social a vulneráveis e a pessoas que necessitem de cuidados especiais, tais como portadores de deficiência, idosos e incapazes;
  • 1.5. Serviços de segurança;
  • 1.6. Transporte e entrega de cargas de qualquer natureza;
  • 1.7. Transporte coletivo de passageiros, incluído o intermunicipal;
  • 1.8. Transporte de passageiros por táxi ou serviços de aplicativo;
  • 1.9. Coleta de lixo;
  • 1.10. Telecomunicações e internet;
  • 1.11. Abastecimento de água;
  • 1.12. Esgoto e resíduos;
  • 1.13. Geração, transmissão e distribuição de energia elétrica;
  • 1.14. Produção, transporte e distribuição de gás natural;
  • 1.15. Iluminação pública;
  • 1.16. Serviços funerários;
  • 1.17. Atividades com substâncias radioativas e materiais nucleares;
  • 1.18. Prevenção, controle e erradicação de pragas dos vegetais e de doença dos animais;
  • 1.19. Serviços bancários e lotéricos;
  • 1.20. Tecnologia da informação, call center e data center;
  • 1.21. Transporte de numerários;
  • 1.22. Geologia (alerta de riscos naturais e de cheias e inundações);
  • 1.23. Atividades agropecuárias, incluindo serviços de produção pecuária e cultivos de lavouras temporárias e permanentes;
  • 1.24. Serviços mecânicos;
  • 1.25. Comércio de peças para máquinas e veículos, exclusivamente sob a modalidade delivery;
  • 1.26. Serviços editoriais, jornalísticos, publicitários e de comunicação em geral;
  • 1.27. Manutenção, instalação e reparos de máquinas, equipamentos, aparelhos e objetos;
  • 1.28. Centrais de abastecimentos de alimentos;
  • 1.29. Construção civil, montagens metálicas e serviços de infraestrutura em geral;
  • 1.30. Serviços de delivery relacionados a quaisquer atividades, serviços e empreendimentos mesmo não classificados como essenciais;
  • 1.31. Drive thru para alimentos e medicamentos;
  • 1.32. Produção, distribuição e comercialização de combustíveis e derivados;
  • 1.33. Frigoríficos, curtumes e produção de artefatos de couro;
  • 1.34. Extração mineral;
  • 1.35. Comércio de produtos de saúde, higiene e alimentos, para seres humanos e animais, e de bebidas não alcoólicas;
  • 1.36. Indústria de produtos de saúde, higiene e alimentos, para seres humanos e animais, e de bebidas;
  • 1.37. Indústrias: têxtil e de confecção; de produtos à base de petróleo, inclusive a distribuição; produção de papel e celulose; do segmento de plástico e embalagens; de produção de cimento, cerâmica e artefatos de concreto, metalúrgica e química;
  • 1.38. Serrarias e marcenarias;
  • 1.39. Atividades em escritórios nas áreas administrativa, contábil, jurídica, imobiliária, entre outras, sem atendimento presencial ao público;
  • 1.40. Serviços de engenharia, agronomia e atividades científicas e técnicas;
  • 1.41. Usinas e destilarias de álcool e açúcar;
  • 1.42. Serviços cartoriais;
  • 1.43. Serviços de higienização, sanitização, lavanderia e dedetização;
  • 1.44. Educação dos níveis infantil, fundamental, médio, técnico-profissionalizante, superior e pós-graduação em formato presencial;
  • 1.45. Serviços postais;
  • 1.46. Serviços de hotelaria e de hospedagem em geral;
  • 1.47. Parques Estaduais;
  • 1.48. Atividades religiosas, vedada a aglomeração e desde que realizadas mediante a adoção das medidas de biossegurança recomendadas pela Organização Mundial de Saúde, nos termos da Lei Estadual nº 5.502, de 7 de maio de 2020;
  • 1.49. Restaurantes localizados em rodovias;
  • 1.50. Exercício físico ao ar livre; e
  • 1.51. Atividades e serviços destinados à pratica de atividade física e exercício físico, desde que observados os protocolos de biossegurança do setor, nos termos da Lei Estadual nº 5.653, de 3 de maio de 2021;

G1MS

- Publicidade -spot_img

MAIS LIDOS