Capitão da PM é preso após discussão com tenente-coronel e alega ser vítima de homofobia há ‘vários anos’ em MS

0
277

Capitão teria desobedecido o seu superior e se envolvido em discussão dentro do comando geral da corporação, momento em que foi preso. Ele prestou depoimento na corregedoria e aguarda audiência.

Um capitão da Polícia Militar (PM) foi preso por desobedecer um tenente-coronel, de patente superior a ele, após uma discussão dentro do comando geral da corporação. Felipe dos Santos Joseph foi detido e encaminhado para a corregedoria da PM, onde informou que a briga ocorreu após ele ser coagido pelo tenente-coronel a falar sobre uma denúncia de homofobia, a qual ele estaria sofrendo por parte de militares dentro da própria corporação. O fato é apurado pelo Ministério Público Estadual (MPE-MS).

De acordo com o boletim de ocorrência, a voz de prisão foi dada após o capitão sair da sala do coronel, sem autorização. Em nota, a assessoria da PM informou que a prisão do capitão ocorreu em razão dele se recusar a cumprir uma ordem do superior hierárquico, durante o serviço. E que apesar da PM não ter conhecimento da denúncia de homofobia, as circunstâncias do ocorrido serão apuradas através de um inquérito da PM.

Já no auto de prisão em flagrante o capitão ressalta que é vítima de homofobia por parte dos policiais militares “há vários anos e se sente extremamente constrangido de estar na corregedoria falando de sua vida pessoal”, além de dizer que denúncias já foram feitas ao Ministério Público. O capitão disse ainda estar consciente de que a atitude dele pode encorajar outras vítimas e que gostaria, de um dia, “voltar a viver em paz e no anonimato”, sendo que, não se pode querer revestir com brincadeira aquilo que é criminoso.

A defesa do capitão Felipe informou que ele passará por audiência de custódia nesta manhã (9) e a expectativa é que ele possa responder em liberdade.

Veja na íntegra a nota da PM:

Em atenção a solicitação feita por Vossa Senhoria, a Polícia Militar do Estado de Mato Grosso do Sul informa que a prisão do referido Oficial aconteceu em decorrência da negativa do mesmo em cumprir uma ordem legal e clara, emanada por um superior hierárquico, durante ato de serviço. O fato fere o nosso regramento jurídico, conforme previsto no artigo 163, do Código Penal Militar: “Recusar obedecer a ordem do superior sobre assunto ou matéria de serviço, ou relativamente a dever imposto em lei, regulamento ou instrução.” As circunstâncias do ocorrido serão apuradas através de um Inquérito Policial Militar.