31 C
Paranaíba
terça-feira, 26 janeiro, 21
Início Brasil Morre Canarinho da Furna Azul, o ícone da música raiz e da...

Morre Canarinho da Furna Azul, o ícone da música raiz e da viola

Adilson Calixto Santos, o Canarinho, faleceu na manhã desta quarta-feira (16), em Paranaíba.

ESTE TEXTO FOI PUBLICADO NO JORNAL TRIBUNA LIVRE NO ANO DE 2007 EM UMA COLUNA DENOMINADA “Paranaíba 150 Anos”.

Canarinho da Furna Azul

Adilson Calixto Santos,  o Canarinho, nasceu em 32 de abril de 1946, na cidade de Prata-MG, filho de João Calixto Demétrio e Olívia Garnuína. Canarinho começou a cantar com dez anos de idade e aos 16 ganhou o seu primeiro concurso tocando chorinho no cavaquinho. Na adolescência, Canarinho ganhava alguns trocados tocando e cantando em pequenas festas e reuniões; era um exímio instrumentista.

Com 17 anos formou o primeiro trio de sua carreira, junto com Oripes Calixto Santos, seu irmão; e José Vieira. Era o “Trio Canarinho”, Célio (Canarinho), Celmir (Oripes) e José Vieira. Em 1963 ganharam o primeiro lugar como melhor trio em um concurso na Rádio Educadora de Uberlândia-MG. Em Ituiutaba-MG, na Rádio Platina, ganharam a gravação de um disco.

Em 1964, Oripes deixou o trio e veio para a zona rural de Paranaíba. Canarinho encontrou um substituto, João Batista Silveira (Cenilton). Agora o trio era Célio, Cenilton e José Vieira. Tocaram juntos três anos com o nome de “Trio Pratense”.

Em 1966, Canarinho, com 20 anos, veio para Paranaíba, trabalhar na lavoura junto com seu irmão na Fazenda Furna Azul. Nas horas vagas cantava, animando festas nas fazendas circunvizinhas. “Guido Rodrigues Freitas, o nosso patrão, incentivou meu irmão e eu a formarmos uma dupla. Ele foi o nosso padrinho e nos ajudou muito”, disse Canarinho. Assim nasceu a dupla “Os Canarinhos – Celio e Celmir”. Eles ganharam o “Troféu Moraes César”, na Rádio Brasil de Goiânia-GO, como melhor dupla.

Célio e Celmir realizavam shows em diversos estados, São Paulo, Minas Gerais, Goiás. Canarinho destaca as cidades de Barretos-SP e Uberaba-MG. Passado algum tempo, a dupla conheceu um sanfoneiro de Cassilândia-MS, José de Almeida, apelidado de “Zequinha Doido”, assim a dupla virou trio e ganhou o 1º Festival da Música Sertaneja, realizado em Paranaíba durante os festejos comemorativos ao aniversário da cidade em julho de 1972.

Após dois anos tocando com “Os Canarinhos”, Zequinha Doido deixou o trio e apresentou o sanfoneiro Juvenal Gomes dos Santos que entrou para o trio com o nome de Celmar. O Trio Célio, Celmir e Celmar permaneceu junto por 12 anos realizando diversos shows e gravando três discos. “Fizemos shows em diversas cidades. As músicas de destaques eram Chegando em Goiânia, Procurando Felicidade e Balança Morena. Até hoje as pessoas me pedem para ouvir essas músicas”, disse Canarinho. O trio tinha um programa na Rádio Difusora aos domingos das 10h às 11h, chamado de “Aonde Canta os Canarinhos”, trabalharam com os locutores Manoel Nogueira e João de Deus. O programa durou 10 anos.

Em 1978 Celmar foi assassinado. Canarinho continuou tocando com Celmar por mais um ano e depois se separaram. A partir de 1980, Canarinho começou a sua carreira solo com o nome de “Canarinho do Sul” e até hoje faz shows com sua viola em toda a região.

COLABORARAM: Adilson Calixto Santos (Canarinho), Daniel Castro e Márcio Seraguci.

- Publicidade -

MAIS LIDOS