Pastor é preso por suspeita de estupro de vulnerável de menino de 11 anos em centro de apoio psicológico

0
1023

A Polícia Civil de Campo Grande prendeu um pastor, suspeito de abusar sexualmente de um menino, de 11 anos, no Centro de Atenção Psicossocial (Caps) no bairro Monte Castelo. Conforme denúncia, ele teria perseguido e passado a mão pelo corpo da criança.

A prisão preventiva do homem que também atuava como jardineiro foi decretada pela Justiça de Mato Grosso do Sul e o mandado cumprido nessa terça-feira (16), por policiais da Delegacia Especializada de Proteção à Criança e ao Adolescente (DEPCA). O suspeito foi preso ao chegar na empresa onde trabalhava, ocasião em que assinaria a rescisão trabalhista. 

Em depoimento, ele negou ter praticado qualquer abuso e disse que não manteve nenhum contato físico com a criança, que na época do crime tinha 10 anos. Sobre ter fugido após a chegada da polícia, quando o caso foi denunciado, ele alegou ter ficado assustado com as acusações. 

Funcionários do CAPS relataram à polícia que já haviam estranhado o comportamento do pastor, que frequentemente era visto acompanhando crianças em situações suspeitas, razão pela qual já haviam chamado a atenção sobre o comportamento. 

O caso segue em investigação e a polícia procura saber se existem outras vítimas.

Entenda o caso

Segundo o boletim de ocorrência, o pai da criança denunciou o abuso um dia após o crime, quando o filho ficou muito irritado e relatou a situação.

Ao ser questionado, o menino contou que um funcionário da unidade de atendimento o teria encurralado no jardim do local e passado a mão pelo seu corpo.

O homem foi identificado pelo sistema do Caps, como um funcionário de uma empresa terceirizada e, de acordo com a secretaria municipal de Saúde (Sesau), o mesmo foi afastado da função