Pesquisa para deputado estadual de Mato Grosso do Sul – Espontânea e por Partido

0
133

A eleição para deputado estadual em Mato Grosso do Sul está disputadíssima. Contudo, os seis primeiros colocados na preferência dos eleitores se mantêm na mesma posição que o último estudo divulgado pelo Instituto Ranking Brasil para ocupar uma das 24 cadeiras da Assembleia Legislativa.

Nesta décima pesquisa, divulgada hoje, dia 22 de setembro de 2022, os números são os seguintes: Paulo Correa (2,10%), Jamílson Name (1,40%), Márcio Fernandes (1,30%), Mara Caseiro (1,30%), Marçal Filho (1,20%) e Pedro Caravina (1,20%).

A partir da sétima colocação houve uma troca. Paulo Duarte está em boa posição e quem ocupa o sétimo lugar é Gerson Claro com 1,10%. Na sequência vem Neno Razuk com 1,10% e Marcelo Salomão com 1,00%. 

As mudanças mostram que a disputa será definida no corpo a corpo com os eleitores e os postulantes aos cargos estão tendo que gastar a sola do sapato para garantirem a preferência.

Pesquisa espontânea

Os entrevistadores questionaram os eleitores em quem eles votariam para o cargo de deputado estadual, sem dar opções de nomes dos pré-candidatos. Confira as preferências dos eleitores!

Paulo Corrêa – 2,10%, Jamílson Name – 1,40%, Márcio Fernandes – 1,30%, Mara Caseiro – 1,30%, Marçal Filho – 1,20%, Pedro Caravina – 1,20%, Gerson Claro – 1,10%, Neno Razuk – 1,10%, Marcelo Salomão – 1,10%, Paulo Duarte – 1,10%, Lucas de Lima – 1,00%, João Henrique Catan – 1,00%, Roberto Hashioka – 1,00%, Coronel David – 0,90%, Raquelle Truttis – 0,90%, Rhiad Abdulahad – 0,90%, David Vicensi – 0,80%, Otávio Trad – 0,80%, Silvio Pitu – 0,80%, Dr. Ivandro Fonseca – 0,80%, Zeca do PT – 0,70%, Amarildo Cruz – 0,60%, Otávio Figueiró – 0,60%, Dr. Flávio Barbosa – 0,60%, Junior Mochi – 0,60%, Dra. Maria José – 0,60%, Diogo Bossay – 0,60%, Fabiano Reis – 0,50%, Marcelo Bluma – 0,50%, Lídio Lopes – 0,50%, Herculano Borges – 0,50%, Glaucia Iunes – 0,40%, Walber Mendes – 0,40%, Londres Machado – 0,30%, Pastor Mauro Ortiz – 0,40%, Professor Rinaldo – 0,40%, Ninho – 0,40%, Antônio Vaz – 0,40%, Zé Teixeira – 0,30%, Lia Nogueira – 0,30%, Enelvo Felini – 0,30%, Sayuri Baez – 0,30%, Iara Diniz – 0,30%, Evander Vendramini – 0,30%, Pedrossian Neto – 0,30%, Rafael Tavares – 0,30%, Silvio do PDT – 0,20%, Dr. Luciano – 0,20%, Pedro Kemp – 0,20%, Sandro Benites – 0,20%, Renato Câmara – 0,20%, B/N/I/N/Não respondeu – 61,55%.

Disputa para deputados estaduais entre os candidatos do mesmo partido

A disputa para uma das 24 cadeiras da Assembleia Legislativa de Mato Grosso do Sul também é entre os correlegionário. Os candidatos não brigam apenas entre os partidos concorrentes, já que só entra quem somar mais votos.

O partido precisar atingir 80% dos votos para fazer um deputado estadual com as maiores sobras do coeficiente eleitoral e o candidato mais votado do partido tem que obter no mínimo 20% dos votos do coeficiente eleitoral para ocupar uma das cadeiras.

Desta forma, segue abaixo a análise do Instituto Ranking Brasil dos partidos e candidatos que estão na frente da disputa e podem vir a ocupar uma das 24 cadeiras da Assembleia Legislativa de Mato Grosso do Sul.

PSDB

O PSDB deve fazer entre quatro e cinco deputados, os que têm mais chance de entrar são Paulo Corrêa que está com 2,10% das intenções de votos, Jamílson Name com 1,40%, Mara Caseiro com 1,30%, Pedro Caravina com 1,20% e Marcelo Salomão com 1,10%.

MDB

Já os emedebistas devem fazer entre dois e três deputados estaduais. Estão na frente da disputa Márcio Fernandes com 1,30% das intenções de votos dos eleitores, Júnior Mochi com 0,60%, Dr. Flávio Barbosa com 0,60%, Diogo Bossay com 0,60% e Dra. Maria José com 0,60%.

PT

Os petistas também devem ocupar entre duas e três cadeiras da Assembleia Legislativa de Mato Grosso do Sul. Estão na frente da disputa Zeca do PT com 0,70%, Amarildo Cruz com 0,60%, Marcelo Bluma com 0,50% e Pedro Kemp com 0,20%.

PSB

Os peesebistas devem fazer apenas um candidato e quem está na liderança é Paulo Duarte com 1,10% das intenções de votos dos eleitores. Logo depois vem Walber Mendes com 0,40%, Lauro David com 0,10% e Sarah Santos com 0,10%.

PP

O PP deve fazer de dois e três deputados estaduais nestas eleições. Estão na frente da disputa Marçal Filho com 1,20% das intenções de votos dos eleitores, Gerson Claro com 1,10%, Londres Machado com 0,40% e Evander Vendramini com 0,30%.

PDT

O PDT deve fazer apenas um candidato e quem está na liderança é Lucas de Lima com 1,00% das intenções de votos dos eleitores. Depois vem Glaucia Iunes com 0,40%, Enelvo Felini com 0,30% e Silvio do PDT com 0,20%.

PL

Os liberais já têm chance de ocupar entre duas e três cadeiras das 24 da Assembleia Legislativa de Mato Grosso do Sul. Tem mais chance de levar a disputa Neno Razuk com 1,10% das intenções de votos dos eleitores, João Henrique Catan com 1,00%, Coronel David com 0,90% e Raquelle Trutis com 0,90%.

Podemos

O Podemos deve fazer entre um e dois deputados estaduais. Tem chance de ocupar uma das 24 cadeiras os candidatos do partido Prof. Rinaldo Modesto e Ninho, ambos com 0,40% das intenções de votos dos eleitores. Na sequência vem Zé da Farmácia com 0,10% e Veterinário Francisco com 0,10%.

Patriota

Os patriotas tem chance de ocupar apenas uma das vagas na Assembleia Legislativa. O preferido dos eleitores segue sendo o já deputado estadual Lídio Lopes que está com 0,50% das intenções de votos dos eleitores. Na sequência vem Dr. Luciano com 0,20% e Sandro Benites com 0,20%.

PRTB

O PRTB também deve fazer apenas um deputado estadual nestas eleições. Os possíveis eleitos são Iara Diniz que está com 0,30% das intenções de votos dos eleitores e Rafael Tavares que também está com 0,30%.

PTB

O PTB também deve fazer apenas um deputado estadual. O candidato mais provável de levar a disputa é Otávio Figueiró que está com 0,60% das intenções de votos dos eleitores.

Republicanos

Com a possibilidade de ocupar entre uma e duas vagas na Assembleia Legislativa de Mato Grosso do Sul, os republicanos estão com Herculanos Borges (0,50%), Antônio Vaz (0,40%) e Sayuri Baez (0,30%) na frente da disputa das intenções de votos dos eleitores.

União Brasil

O União Brasil deve ocupar entre duas e três cadeiras das 24 da Assembleia Legislativa. Tem chance de levar a disputa Roberto Hashioka com 1,00% das intenções de votos dos eleitores, Rhiad Abdulahad com 0,90%, David Vincensi com 0,80%, Ivandro Fonseca com 0,80% e Pastor Mauro Ortiz com 0,40%.

PSD

Já o PSD tem a possibilidade de ocupar entre uma e duas vagas na Assembleia Legislativa. Tem mais chance de entrar Otávio Trad com 0,80% das intenções de votos dos eleitores e Sílvio Pitu que também está com 0,80%. Logo depois vem Pedrossian Neto com 0,30%.

* Os partidos Avante, DC, Solidariedade, Federação Rede/Psol, Pros e AGIR não atingiram 80% dos votos para fazer um deputado estadual com as maiores sobras do coeficiente eleitoral. Os partidos além de ter que atingir esta porcentagem dos votos (80%), o mais votado do partido tem que obter no mínimo 20% dos votos do coeficiente eleitoral para ocupar uma das cadeiras.

Dados da pesquisa

Foram entrevistadas 3.000 pessoas, em 30 municípios do Mato Grosso do Sul por setores censitários IBGE de 2010, entre os dias 17 e 21 de setembro de 2022.  A pesquisa foi executada e registrada com os números: MS-01137/2022 e BR-03620/2022.

A margem de erro máxima estimada é de 1,8 pontos percentuais, para mais ou para menos. O intervalo de confiança é de 95%. A pesquisa foi encomendada pelo site MGS NEWS. O Instituto Ranking Brasil é registrado no Conre 1 com o número: 8561.

Veja a pesquisa completa em PDF no site:

www.rankingpesquisa.com.br

INSTITUTO RANKING BRASIL

Contato: (67) 9 9968-0055/67 9 9962-3334

E-mail: rankingpesquisa@gmail.com