Polícia Militar Ambiental autua fábrica de móveis por incêndio em resíduos de madeiras com dispersão de fumaça e fuligem prejudicando a vizinhança em MS

0
96

Moradores acionaram a Polícia Militar Ambiental de Batayporã ontem (7) à tarde, reclamando da inalação de fumaça, que os prejudicava, causando desconfortos respiratórios. Eles relataram também que a fumaça e a fuligem eram decorrentes de um incêndio provocado em uma fábrica móveis, localizada no distrito industrial do município de Nova Andradina. Uma equipe foi rapidamente ao local e flagrou sobras de madeiras sendo queimadas.

O representante da empresa infratora alegou desconhecimento quanto a necessidade de licença ambiental para a queima dos resíduos e informou que normalmente os resíduos de madeiras eram amontoados para posterior queima. Os responsáveis foram orientados sobre a proibição deste tipo de incêndio e de que os resíduos precisam ter a destinação adequada. Além disso, o problema da queima desses resíduos, especialmente, o pó-de-serra e fica muito tempo queimando e emitindo fumaça e fuligem.  A empresa foi autuada administrativamente e foi multado em R$ 1.000,00..

Apesar dos esforços e das orientações, inclusive pela mídia, em relação à proibição dos incêndios, algumas pessoas insistem com esse costume, que é bastante prejudicial ao ambiente e à saúde da população afetada. A operação Prolepse que está sendo realizada pela PMA, em princípio, as pessoas estão sendo orientadas, porém, as que insistem em desrespeitar as normas, estão sendo autuadas. A operação será executada todos os anos até que o problema dos incêndios urbanos e rurais estejam sob controle.

PMMS